Tatu-bola

Na começo da história “A Batalha Temerária Contra o Capelobo”, Gerard van Oost e Oludara encontram uma criatura nada temerária: uma fêmea de tatu-bola.

O tatu-bola, ou mais corretamente, o tatu-bola-da-caatinga (Tolypeutes tricinctus) é uma pequena criatura (menos de 2kg) que atualmente habita apenas uma região no nordeste do Brasil.

Cambridge_Natural_History_Mammalia_Fig_103

Tatu-bola

(fonte: The Cambridge Natural History, 1902)

O tatu-bola é noturno e alimenta-se de insetos como formigas e cupins. Ele usa as suas garras para escavar a terra e sua língua para capturar as presas. Diferente de quase todos os outros tipos de tatus, o tatu-bola consegue enrolar-se dentro da carapaça para defender-se.

Ao encontrar um tatu-bola pela primeira vez, Gerard e Oludara não têm a mínima ideia do que é o animal. Gerard chega a sugerir que a pequena criatura é um rinoceronte, um bicho que ele só tinha visto em uma xilogravura de Albrecht Dürer.

722px-Dürer_rhino_full

Xilogravura de rinoceronte por Albrecht Dürer, 1515

Em março de 2012, seis meses após o lançamento de “A Batalha Temerária Contra o Capelobo”, o tatu-bola foi escolhido como mascote da Copa do Mundo do Brasil de 2014. Coincidência? 😉

Mascote_Copa

 

Fuleco – mascote da Copa do Mundo de 2014

 

Mensagens postadas

Participe da discussão