The World of Gerard van Oost and Oludara

A Bandeira do Elefante e da Arara: Livro de Interpretação de Papéis

A Bandeira do Elefante e da Arara: Livro de Interpretação de Papéis contém um sistema inédito de RPG e uma ambientação dentro do mundo da internacionalmente premiada série A Bandeira do Elefante e da Arara. Este cenário, que combina a história brasileira do século XVI com as criaturas do nosso folclore, é ideal para jogadores iniciantes e para uso paradidático em sala de aula. O livro contém 50 pinturas criadas por sete dos melhores artistas digitais do país.

Esta primeira impressão custa apenas R$28,00, graças ao apoio da Lei de Incentivo a Cultura do Governo Federal e patrocínio do Banco De Lage Landen.

Reúna seus amigos e explore este mundo fantástico. Mude a história do país com uma jogada dos dados.

O livro pode ser encontrado nas seguintes lojas:

Online:

Livraria Cultura

Lojas Físicas

Nerdz (Porto Alegre)

 

Citações:

“Eu nem preciso dizer o quanto gostei desse jogo, de ver o folclore brasileiro sendo magicamente utilizado. Criaturas místicas com descrições mais detalhadas e medonhas, ilustrações perfeitas, além de ser a história do Brasil Colonial. A iniciativa é nobre e a ideia de aproximar os jovens do RPG em um ambiente lúdico fez com que eu me apaixonasse pelo sistema.”

–  Rafa Almeida, game designer na Sherlock S. A. e jornalista no site Tábula Quadrada.

 

“O RPG teve grande influência tanto no meu trabalho quanto na minha vida pessoal. Os role-playing games sempre foram, para mim, um excelente laboratório para testar as minhas as histórias, e de modo colaborativo, obtendo um feedback na hora. Para um escritor, o RPG serve como uma inesgotável fonte de referência, auxiliando na criação personagens únicos, diferentes. Nos ensina, também, a ter visão de conflito e estimula a nossa capacidade de improvisação. Fora isso, os jogos de RPG me ajudaram a aprender inglês e – mais importante – me apresentaram aos meus melhores amigos. Devo muito ao hobby. Só me trouxe coisas boas, então recomendo a todos”.

–  Eduardo Spohr, jornalista, escritor, professor, blogueiro e podcaster. Autor de A Batalha do Apocalipse e da trilogia Filhos do Éden.

 

“A simulação de um personagem dentro de um contexto lúdico, me permite testar e experimentar o que levaria anos e muitos tropeços se fosse na vida real. Tentar viver e sentir o que é ser um herói, um antagonista, um ladrão ou um paladino, todas essas foram oportunidades de colocar em prova aquilo que queria ser como ser humano na vida real. Não pensamos assim com tanta clareza quando jogamos, mas os sentimos positivos e negativos nos marcam, e influenciam como queremos ser de fato. Se os atos heróicos no RPG me deixam pleno e feliz, isso me faz querer buscar o heroísmo para também construir a minha vida real”.

–  Saulo Camarotti, fundador de Behold Studios, estúdio criador dos premiados games Knights of Pen & Paper e Chroma Squad.

 

“Um privilégio para jovens leitores! Aceitar o desafio para representar personagens que fazem parte da narrativa ficcional A bandeira do elefante e da arara, de autoria de Christopher Kastensmidt, inspirada na história do Brasil Colônia e de seus primeiros habitantes, num cenário pleno de aventuras e de magia, é conceder-se uma oportunidade singular. É agigantar-se interiormente. Conhecer outros modos de pensar, de agir e de sentir, observar outras realidades, outros cenários, vivenciar outros tempos constitui circunstância adequada para a ampliação do conhecimento, da imaginação, da afetividade, alterando nossa identidade individual e coletiva.”

–  Tania Mariza Kuchenbecker Rösing, professora dos Programas de Mestrado e Doutorado em Letras (UPF e URI/FW), Coordenadora das Jornadas Literárias de Passo Fundo entre 1981 e 2015.

 

Publicação:

Devir Livraria
Formato: Capa dura, 21,0 cm × 28,0 cm
Miolo: 208 páginas
ISBN: 978-85-7532-680-0
Preço: R$28,00